quarta-feira, 2 de novembro de 2011

ESPERA


























                               
                    

                                   Quando a morte começa a desfazer costuras.




  



             
                                                 


16 comentários:

Mar Arável disse...

Estamos sempre a desnascer

Bípede Falante disse...

Sempre desconfiei desse lado Penélope. Sempre!
beijoss

Celina Dutra disse...

Sonia querida,

Como sempre, belíssima foto. Todo dia descosturamo-nos um pouco. É sempre menos 1.
Girassóis nos seus dias. Beijos.

MIRZE disse...

Lindo, Sônia!

De uma profundidade irretocável!

Beijos

Mirze

tossan® disse...

Faz parte Sônia! Faz Parte! É o seguimento original. A foto p&b é magnífica! Beijo

Thuan Carvalho disse...

Bela foto.
Bela sacada.

O segredo é sempre costurar com linhas coloridas, quando o amanhã for descostura.

Elisa T. Campos disse...

Sônia

Triste mas genial
Acho que remendo as minhas costuras tentando fazer haicais

bjs

C@urosa disse...

Que seja breve...no entanto, distante!

A amizade é um amor que nunca morre.
Mario Quintana

forte abraço,

C@urosa

Fred Caju disse...

É o que resta...

La sonrisa de Hiperión disse...

Siempre geniales las cosas que nos dejas...

Saludos y un abrazo.

marciagrega disse...

Essa espera é triste e angustiante!
Mas, é a vida anunciando que precisa partir, alcançar outros caminhos...

Um abraço!

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso disse...

Inevitável fazer e desfazer-se.
bj

Fotokarusellen disse...

A great shot. Beautiful photo work.

Graça Pereira disse...

É, a morte faz sempre uma ante espera e desfaz o que a vida fez!
Uma imagem maravilhosa e...triste!
Beijo

Graça

Iara Maria Carvalho disse...

uma espera absoluta, sem nunca ser eterna.

lindo tudo.

Marcos Campos disse...

Casamento perfeito de foto e poema !