sábado, 29 de setembro de 2018

O QUE NÃO VEJO






























Meus olhos se tornam outros

como as coisas que eles não veem

Aprendo com o que não vejo

com a conversa sem palavras

das árvores e dos retratos











3 comentários:

Ulisses de Carvalho disse...

de nós por outros olhos também vemos, e para sermos inteiros, partimo-nos.

Sinval Santos da Silveira disse...

Sônia Brandão, Poetisa de
belos textos !
Que enigma poético,
Amiga !
Adorei a postura imaginativa.
Parabéns !
Sinval.

Nelson Braga Pinto Seite disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.