terça-feira, 22 de agosto de 2017

PENUMBRA
































Um gato triste
senta-se à sombra
do meu silêncio







4 comentários:

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Poetisa, Sônia Brandão !
Que imaginação, Amiga !
Posso ver o gato cumprir a
missão prevista no poema...
"...senta-se à sombra do meu silêncio".
Lindo !
Parabéns, com o meu afetuoso abraço.
Sinval.

Tais Luso disse...

Também achei lindo a tristeza do gato misturar-se ao teu silêncio!
Beijo, Sonia!

© Piedade Araújo Sol disse...

ele não está triste, apenas pensativo
que belo gatito!
tinha um muito parecido com este
bom fim de semana
beijinhos
:)

Ulisses de Carvalho disse...

Oi, Sônia, como estás? Obrigado pelo teu comentário lá no meu blog, e sim, às vezes uso à vontade as palavras, nem sempre, às vezes também gosto dessa tua concisão, em geral nos poemas, com esse pouco que pode dizer muito e sem entregar tudo de bandeja, como tu fazes. Gosto assim também. O gato é lindo, imagino que seja teu. Um abraço.