segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

CENA































CENA

Eu vi o corpo inerte na calçada
as mãos crispadas seguravam o vazio
a boca aberta ainda guardava um grito









14 comentários:

Marina Linhares disse...

Em poucas palavras disse tudo. Li e visualizei a cena... até me assustei com o que vi... e me arrepiei.
As palavras tomam formas tão reais que podemos sentir o que lemos.
É mais ou menos por aí.
Título, imagem e poema, um conjunto perfeito.
Bj.

tossan® b&w disse...

Sos urbano. Socorro! Linda foto! Especial. Beijo

Tania regina Contreiras disse...

Cena forte, uma fotografia. E a imagem....especialíssima. Voltando do recesso, um bom 2013 para ti com sempre muitas inspirações.
Beijos,

Mar Arável disse...

Salve-se o grito

Primeira Pessoa disse...

ali, jazz.

beijão,
r.

Jair Gabardo. disse...

A quem espera pelo grito libertador.
A que precise da alma liberta.

Beijo e bom final de semana

Fred Caju disse...

Wow!

Elisa T. Campos disse...

E quantos gritos como esse ainda teremos que ouvir?
Lindo Sônia. A ilustração é impactante.

Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Dizes tanto e tão bem em tão poucas palavras.
Tens capacidade de síntese poética, resumindo...
Sónia, minha querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente fotografia...Belas palavras....
Cumprimentos

Jefferson Garrido disse...

Muito bom!

Gostei do blog, parabéns!

carlo disse...

Olá,lindo momento fotográfico e adorei o que li.
Abraço

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O Drama, tornou-se banal!
Excelentes: foto e descrição...

Um beijo!

© Piedade Araújo Sol disse...

fabulosa...