quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A MORTE DAS PALAVRAS






























                                   

                                        A MORTE DAS PALAVRAS


As lembranças perdidas dormem
sob a pedra.
A borboleta se abaixa sobre
a rosa morta.
As facas do ódio cortam
as palavras.

Sem forças
e sem cor
as palavras morrem
na noite
que se desfaz em lágrimas.






sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

SAPATINHOS
































SAPATINHOS


Sobre as pedras na margem do rio
um par de sapatinhos.

O rio estendeu
seu lençol sobre o menino

e o fez dormir
no seu leito para sempre.







sábado, 7 de janeiro de 2012

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

TEMPESTADE































TEMPESTADE


Das mesas postas do céu
caem talheres de ouro.

Na beira das águas pulsantes
do rio
o louco dança
com uma flor nas mãos.