quarta-feira, 2 de maio de 2012

UMA TERRA































UMA TERRA


Era uma terra onde os homens
não tinham boca nem olhos,
erguiam as suas casas
com os tijolos do caos.

Plantavam mas não colhiam,
a terra comia tudo,
sua força e sua vida,
seu sangue, seu coração.

Se eles tivessem olhos
poderiam ver o dia
em que da terra brotaram
gordas espigas vermelhas
feitas de suor e sangue.





8 comentários:

Mar Arável disse...

... e eu aqui

a respirar por guelras

Bj

Victor Gil disse...

Olá Sónia.
Um poema de luta e revolução. Por vezes existe quem não queira que as pessoas vejam o que os rodeiam. Gostei imenso das tuas palavras.
Beijinhos
Victor Gil

Ana Martins disse...

Este é o retrato do presente.
Muito bom, parabéns!

Beijinho,
Ana Martins

Bípede Falante disse...

Mal pude respirar.
Que sufoco de emoção!
beijoss

Marina Linhares disse...

Sensacional! Maravilha de poema.

Fred Caju disse...

Poema pesado. E belo.

Elisa T. Campos disse...

Um filtro de desolação em forma de poema.

Belíssimo

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso disse...

Essa terra (infelizmente) é nossa.