terça-feira, 3 de abril de 2012

OS OLHOS DO MENINO































OS OLHOS DO MENINO


Sentado na porta da cozinha
acariciava um cão sarnento.

Tanta tristeza nos olhos dos dois.

Inútil falar com o menino:
a única resposta era o olhar.

( Uma dor tão grande
como eu nunca tinha visto.)

Nunca mais pude esquecer aqueles olhos.








18 comentários:

Lara Amaral disse...

Há cenas que podemos somente observar, com aquele peso no coração.

Belo, Sônia!

Grande beijo.

tossan® disse...

Os olhos dizem mais do que a boca, Adotei um parecido com este e sou mais feliz agora. Um amigão. Belíssimo apanhado! Beijo

Iara Maria Carvalho disse...

"na vida de minhas retinas tão fatigadas".

lindo e inesquecível.

beijosss

Luiza Maciel Nogueira disse...

memoráveis e volta sempre na lembrança o que pareceu eternidade

beijos!

AC disse...

Para entender o mundo o olhar forja-se em muitas ramificações, esta é apenas mais uma.

Beijo :)

Mar Arável disse...

Já vi um cego chorar

lágrimas vivas

Bj

Graça Pereira disse...

Há olhares que transportam o peso do mundo...
Beijo
Graça

Mara faturi disse...

E o olhar do poeta faz toda a diferença queri;))
Bjos!

Ana Martins disse...

Há olhares que dizem mais que mil palavras!

Páscoa Feliz e um beijinho.

Ana Martins

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso disse...

Triste. Nesses momentos a gente até topa dividir a tristeza, né? bjos sônia, boa páscoa pra vc e pro brandão!

Fred Caju disse...

Lembrei de um poema do meu conterrâneo Alberto da Cunha Melo, O cão de olhos amarelos.

castanhamecanica disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju

Rosicler disse...

Já dizia alguém: "Os olhos são o espelho da alma." E é bem verdade!

Beijos
Rosicler

Elisa T. Campos disse...

Dói até a alma.Um olhar divino.
Divinal também é o seu.
Beijos

Mirze Souza disse...

Tão triste e tão bonito!

Os olhos do poeta enxergam o que ninguém observa.

Beijos, amiga querida.

Mirze

Fernando Campanella disse...

Os cães às vezes me parecem um espelho, como se refletissem uma dor nossa, tão antiga. Mas ele refletem também nossa ternura intacta, não triturada pelos coriscos da vida. Belo poema, Sonia.
Muito bonita a foto do cabeçalho, seria a Pedra do Baú? Perto de Gonçalves há uma pedra parecida com essa, que se chama "Atrás-da-Pedra". Curioso esse nome, não?)
Abração, estava com saudade deste espaço aqui, e do blog do Brandão, também.

Pedra do Sertão disse...

Nossa, eu vi o Rex, cachorro que acompanhava o jornal das 8h no sítio onde meus avós moravam...parecia mesmo um menino!

Abraço

Marina Linhares disse...

Nossa! Emocionante. Muito lindo!