sábado, 24 de setembro de 2011

LABIRINTO
































LABIRINTO

A noite é um labirinto de pedras.
As palavras se quebram em minha boca.
Um grito, dentro do peito.

Recolho-me no umbigo da dor
mastigando o pão da morte.




domingo, 18 de setembro de 2011

SONHO




























                                         

                                          Sonharemos no sono da morte?




sábado, 10 de setembro de 2011

CASA VELHA






































Quantas coisas viram tuas janelas
e os olhos que nelas se debruçavam.
Olhos que viam o dia nascendo e a névoa
como uma coberta sobre a serra,
viam as flores dançando lá fora,
viam a noite, a lua convidando a amar.

Esses olhos e tuas janelas
se fecharam para sempre.

Hoje, apenas os fantasmas te habitam.

                                  





segunda-feira, 5 de setembro de 2011

APRENDIZADO




                             
                                     Não te espante o meu silêncio:
                                     estou aprendendo a morrer.




sexta-feira, 2 de setembro de 2011

A CASA




                                          A velha casa dorme
                                          e permanece no tempo.