quinta-feira, 30 de junho de 2011

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Meus pássaros











                                         
              Nem todo pássaro é impossível.   




sexta-feira, 17 de junho de 2011

ALVORADA




                                    ALVORADA


A lua sonhadora treme
e se despede da ruazinha sem saída.

As primeiras luzes da manhã
aparecem sobre os altos muros.

O vento move com suavidade
a verde copa das árvores.

O sol espia desconfiado
por detrás das montanhas.

As vozes da fonte e dos pássaros
vão abrindo a manhã.



sábado, 11 de junho de 2011

AMOR E SILÊNCIO




LAREIRA


As taças vazias
sobre a mesa
A lenha
ardendo na lareira
Não dizemos
nada
Apenas contemplamos.

O amor é feito de silêncio.




quinta-feira, 9 de junho de 2011

Ampulheta

























Ampulheta

As nossas preces de areia
não são capazes de calar
o alarme pontual da morte.



sábado, 4 de junho de 2011