segunda-feira, 25 de abril de 2011

O espelho





  
O espelho

Na eternidade baça do espelho
dois olhos perdidos me olham.



                                 

quinta-feira, 14 de abril de 2011

A JANELA CEGA




A JANELA CEGA

Debruçado na janela cega
bebe o vazio,

procura o esquecimento.

Pendura os olhos no varal
do tempo

para não ver a rosa
que sangra no espelho.



terça-feira, 12 de abril de 2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Caverna





CAVERNA        


Na escuridão e no silêncio

tão intensos

eu quase aprendi o que é o nada.






domingo, 3 de abril de 2011

Ensaio



                                                      
                                                 

                 
                Ensaio



  Dormir é quase morrer.