terça-feira, 4 de outubro de 2011

AS JANELAS




























AS JANELAS

As janelas das casas são espelhos
do tempo

quando
murcharam
todos
os caminhos

e onde
apenas brotam as flores do esquecimento.

Só os olhos
de pedra
se lembrarão para sempre.



9 comentários:

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso disse...

Há janelas que não existem mais, mas que continuo nutrindo por elas grande reverência... mas há essas também, que só os olhos de pedra que se lembram ou lembrarão. Muito legal, Sônia! :D

Celina Dutra disse...

Sônia,

Foto belíssima! Texto lindo. Você sempre apresentando trabalhos excepcionais! É muito agradável vir aqui.

Girassóis nos seus dias.
Beijos

Gilda Maria disse...

Lindo texto, e foto bem interessante!
Abraços.

Gaspar de Jesus disse...

Texto e Fotos a condizer:
Parabéns Sônia
Bjs
G.J.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Sônia, bea fotografia...Belo poema... Espectacular....
Cumprimentos

Kaya disse...

That is so beautiful B&W picture. I love old abandoned houses. I like how you captured this house. It has a character. This is amazing image.

And that is so true that the windows of the houses mirrors time.

Beautiful and very creative picture!!!!!

Nita disse...

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Um beijo da Nita. Hoje de bom amanhecer!

La sonrisa de Hiperión disse...

Maravillosos los posts que nos dejas. Los versos y las fotos. Un placer, como siempre volver por tu casa.

Saludos y un abrazo.

Elisa T. Campos disse...

Me fez lembrar deste:
Quem passou a vida em brancas nuvens e em plácido repouso adormeceu,quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu.Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida,
Não viveu.
Francisco Octaviano.


bjs