sábado, 10 de setembro de 2011

CASA VELHA






































Quantas coisas viram tuas janelas
e os olhos que nelas se debruçavam.
Olhos que viam o dia nascendo e a névoa
como uma coberta sobre a serra,
viam as flores dançando lá fora,
viam a noite, a lua convidando a amar.

Esses olhos e tuas janelas
se fecharam para sempre.

Hoje, apenas os fantasmas te habitam.

                                  





11 comentários:

Magro Costa disse...

Linda foto e lindo texto, gostei muito.
Abraços e bom final de semana.

Júlio Machado disse...

Casa velha: Contemporânea lembrança.

Abraços!

Claudia Almeida disse...

Há mudanças em que perdemos o céu,mas isso não tem muito valor num mundo de alumínios, bjs querida!

Ótimo final de semana

Bípede Falante disse...

E parece ser um fantasma teimoso, daqueles que se recusam a sair de cena :)
beijoss

pacatatu disse...

Absolutamente lindo! A casa revela tanto quem morou...

Elisa T. Campos disse...

Sonia. Amei
Que nostalgia. Um um vai-e- vem de flores lua e amor mostradas pelas névoas que se abrem a cada manhã.

É sincronicidade? No "Colheita de Girassóis" da querida Celina Dutra
também reacendeu em cada ruga um girassol que valeu a pena
ser vivido?

Bjs

Celina Dutra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Celina Dutra disse...

Cheguei trazida pela Elisa T. Campos. Elisa, obrigada por me apresentar espaço tão rico e belo.

Amei a foto e mais ainda o texto! Parabéns!

Girassóis nos seus dias!
Beijos

Fotokarusellen disse...

A wonderful post and a beautiful picture. Like it very much.

Verânia Aguiar disse...

lindo testo, e sim foto tb :D

voip services disse...

Linda foto e lindo texto, gostei muito.