quinta-feira, 9 de junho de 2011

Ampulheta

























Ampulheta

As nossas preces de areia
não são capazes de calar
o alarme pontual da morte.



3 comentários:

Marcos Campos disse...

Olá Sonia !!
Como sempre, muito bem escrito !
Beijo e bom fim de semana !!

La sonrisa de Hiperión disse...

Estupendas las fotos, y los versos que nos has dejado.

Saludos y buen sábado.

Lara Amaral disse...

A vida passando na ampulheta, a morte esperando como rocha.

Excelente!