quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Instantes




            1. Dádiva

Hoje nasceu uma flor no meu jardim.
Eu pude vê-la.


2. Não tenho mais quintal

                        Um galo perdido no tempo
                        canta na minha janela todas as manhãs.


3. Degrau

No alto degrau do dia
O pássaro olha o céu
e sonha.


4. Andorinha

Hoje uma andorinha pousou na janela.
Ficou mais bonita a minha manhã.


5. Fonte

As águas do rio davam de beber
a um cardume prateado de estrelas.


6. Luz

Na manhã iluminada
as flores se abrem
como o sorriso de Deus.


7. Resíduo

Tenho apenas um punhado de areia em minhas mãos.
Mas o mar ainda canta em meus ouvidos.


10 comentários:

Jota Brasil disse...

Fragmentos, mini poemas, poemetos, sei lá como se chama isso. Só sei que gostei demais. Escrevi um outro dia, que trás outras imagens (Tristes) mas tem a ver:
Enquanto o céu se sentir rejeitado
Não vai parar de chorar sobre nós...
mais ou menos isso.

Cris de Souza disse...

mais bonita ficou minha manhã ao te ler.

beijo de andorinha!

CARLA STOPA disse...

Que delícia de pássaro impossível.Depois passa no Escrevência e dá uma espiada no meu AMARELO IMPOSSÍVEL.Beijos.

Mirze Souza disse...

MARAVILHA, Sônia!

Todos e tudo lindo em perfeita harmonia.

Mas o instante nº 5 está além dos parâmetros normais de sentimento e beleza!

Beijos, querida!

Mirze

Tais Luso de Carvalho disse...

Oi, Sonia, uma andorinha posou na tua janela... E na minha vêm duas pombinhas; tento que fiquem mais um pouco, dou-lhes comida, mas pulam para o telhado da frente e lá ficam namorando. Todos os dias na mesma hora e no mesmo lugar. Gostaria que também fosse na minha janela!

beijos, querida.
tais luso

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso disse...

O que nos resta é brigar pela beleza e pela natureza que nos rodeia, né? estou seguindo! um grande abraço, sônia!

Fernando Campanella disse...

a areia nas mãos e o mar cantando em nossos ouvidos...muito lindos os poemas, sintéticos e exprimindo tanto e tudo. Estão mais leves, nos fazendo pisar rastros de lua.
Grande abraço, Sonia.

Jair Gabardo. disse...

Adorei o Blog, bom achar as coisas na espontaneidade.
Seguindo e passando sempre por aqui. Espero poder ler algo seu no meu Blog e somar nesse processo que é escrever.

Forte Abraço,

Jair Gabardo.
www.paraquefiquem.blogspot.com

Claudia Almeida disse...

Quanta luz, muito belo!Bjs

Hilton Valeriano disse...

Resíduo: evocação da eternidade!