quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Casinha



                                         

                         
                                 Casinha simples, tão à vontade na paisagem.                                        
                                 Parece ter brotado da terra como as árvores.



10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Bacana quando a casa é extensão da paisagem, da natureza, né?
beijão,

Mirze Souza disse...

Sônia!

Incrível você e sua observação!

Fantástico!

Beijos

Mirze

Marcantonio disse...

Paisagem humana naturalizada. O seu olhar sempre atento.

O segundo verso poderia bem definir a sua própria poesia.

Abraço.

Jota Brasil disse...

Na verdade, logo após "brotar" dos sonhos, as casas "brotam" do chão...afinal elas são erguidas de cima pra baixo!!!!!
(Sua sensibilidade encanta, Parabéns)

Graça Pereira disse...

E da terra brotam as tuas poesias, regadas pelo teu olhar atento.
Beijo e bom fds.
Graça

Claudia Almeida disse...

Beleza e simplicidade, queria ter viajado... Poema gigante!Bjs

Antonio Carlos disse...

Querida Sônia, esta passagem na natureza vigora em teu ser, são as flores da terra que abrigam aos pássaros e o canto na sobriedade do homem, isso é lindo!
Beijo! =)

Marcos Campos disse...

Parece mesmo, imagem e palavras ficarm perfeitas !
Boa semana!
Beijo!

Luciana Marinho disse...

tão belos versos para falar do quanto pode ser harmônica a passagem do homem pela natureza. belas imagens poética e fotográfica.

Fernando Campanella disse...

Que lindo, Sônia, sinto também que nossas construções singelas brotam da terra, com a bênção do céu. Um abraço.