sábado, 28 de agosto de 2010

Destino





Destino

Entre pedras vestidas de verde
morrerei de cantar,
como as cigarras.

___________

9 comentários:

C@urosa disse...

Olá querida Sônia Brandão, a natureza sempre inspirando...muito lindo e com belíssima imagem fotográfica.Parabéns, muita paz e harmonia em seus dias.

forte abraço

C@urosa

C@urosa disse...

Olá querida Sônia Brandão, a natureza sempre inspirando...muito lindo e com belíssima imagem fotográfica.Parabéns, muita paz e harmonia em seus dias.

forte abraço

C@urosa

nydia bonetti disse...

o verde, que humaniza as pedras - o verde que nos humaniza e que nos faz cantar - como as cigarras. beijo grande!

MOISÉS POETA disse...

amei seu blog !

levitei na sua poesia...!

beijo !

Wilson Torres Nanini disse...

A morte é uma ótima metáfora, um limiar, um parâmetro para quem fia no peito um cântico tão profundo.

Abraços!

dade amorim disse...

Quase um paradoxo, morrer de cantar, como se renascesse do verde.
Beijo, Sônia.

Graça Pereira disse...

Quando se é feliz...canta-se até ao fim!
Beijo
Graça

Aníbal Raposo disse...

Sônia,

Lindos: o poema e a imagem.

Beijos

Costea Andrea Mihai disse...

wonderful image!! regards