quinta-feira, 20 de maio de 2010

Desígnio




Eu sou as mãos de Deus.
Deixei de ser apenas barro
para me tornar oleiro.

________

11 comentários:

BAR DO BARDO disse...

A natureza nos cumpre...

Wilson Torres Nanini disse...

Deus deixa de ser, por ora, apenas barro, e vive um pouco encruado na nossa perecível eternidade. Muitos de seus delicados poemas parecem-me ter sido feitos pelas mãos de um deus lembrado das coisas ainda não-inventadas.

Abraços!

Marcos Campos disse...

ótimo isso Sonia, e a vida se transforma...
Beijo e bom fim de semana!

C@urosa disse...

Querida Sônia Brandão, e Deus presente em todos os mínimos detalhes, mãos que realizam o milagre que será eterno.

forte abraço

C@urosa

Unseen Rajasthan disse...

This is so beautiful !!I loved the post !!Simply great !!

Nydia Bonetti disse...

tanto barro
tanto a ser moldado
tantas mãos

olhos que os percebam é que são poucos... beijo, Sônia.

tossan® disse...

Sigo as tuas mãos junto com a natura. Gostei da foto. Beijo

O Profeta disse...

Hoje perdi-me na cidade do pensamento
A vida correu-me na frente em corro-pio
Hoje um pássaro descobriu o voar
Hoje senti na emoção a força de um rio

Segui para nascente fugindo à noite
Inventei um cavalo branco voador
Despi-me da obrigação de ser outro
Afastei da viagem a sombra do desamor


Doce beijo

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Sônia, belo post...Espectacular....
Beijos

Fernando Campanella disse...

Artistas são oleiros, a beleza a escapar do barro abstrato que se criou a alma.
Grande abraço, Sonia.

José Sousa disse...

Oi... como vai? É a primeira vez que passo aqui e gostei, não só da beleza do blog, mas tambem do que nele posta.
Conheça os meus. precorra eles, tambem tem alguns poemas de minha autoria... em:
www.congulolundo.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração...