sábado, 4 de julho de 2009

Sem palavras




Desprezo as palavras inúteis.
Quero o poema como um grito no escuro.
Mais nada.

_____________________________

15 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Um grito poético, com uma imagem maravilhosa...
beijos e um ótimo final de semana

Moacy Cirne disse...

Síntese das síntese, a partir de alumbramento causado pela imagem. Ótimo.

Um abraço.

tossan disse...

Palavras pra que se a bela imagem fala poesia e ainda ecoa um grito lá no fundo. Beijo

líria porto disse...

beleza, sônia - queria ter escrito isso!
besos

Pedro Luso de Carvalho disse...

Sônia,

E esse poema sempre poderá ser criado, pois, como diz A. D. Van Nostrand, em O Poeta em Todos Nós, "O que torna a linguagem simbólica tão importante é o fato de a ordem infinita que existe fora dele poder entrar em sua consciência. A linguagem é o meio pelo qual pode vencer a simples visão provinciana. O poeta se apropria da 'natureza-símbolo, da natureza que certifica o sobrenatural'. Ele é 'O que dá Nome, o que faz a linguagem, nomeando as coisas pela sua aparência, e às vezes pela sua essência'. A 'aparência' e a 'essencia' o precederam, mas sua percepção 'religa as coisas à natureza e ao Todo'. O valor dessa transação 'é destacar o maravilhoso e constante fato da vida, que pode tolher toda e qualquer circunstância (...)' Em síntese, o poeta revitaliza o que já existe".

Abraços,

Pedro Luso.


Abraços.
Pedro.

Nydia Bonetti disse...

Eis o poema... como um grito!
L I N D O!!!
Beijos, Sônia.

Ana Martins disse...

Muito profundo este pensamento!

Beijinhos,
Ana Martins

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Sônia, bela fotografia...Belo pensamento...Excelente....
Beijos

Multiolhares disse...

Entro calada e saio em silêncio pois a foto é um paraíso e as tuas palavras me alertaram para o inútil, e falar vai estragar este belo momento
beijinhos

Moacy Cirne disse...

Seu poema foi parar no Balaio.

Um abraço.

FaBiaNa GuaRaNHo disse...

Amiga, não sei se vc concorda comigo, mas me sinto totalmente órfã sem o Tertúria Virtual, que está acabando.
Se sim, vamos criar o Movimento Volta Tertúria, o que acha?
bjs

caurosa disse...

Olá minha querida amiga Sônia Brandão, concordo com você, as inutilidades, só servem para ocupar espaço na nossa cabeça, como dizem meus alunos "vamos limpar a área". Muito bom!

Muita paz, harmonia e gritos poéticos...

Forte abraço

Caurosa

O Profeta disse...

Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração
Há sempre alguém que nos diz coisas tontas
Há sempre alguém que afugenta a Saudade
Há sempre alguém que nos marca a ferro frio
Há sempre uma alma ausente da verdade


Boa semana


Doce beijo

Doroni Hilgenberg disse...

Sonia,
que lindo!
Para que palavras quando sua foto já é um poema encantado?
bjs

Marco Reis disse...

Sónia
Impressionante a simetria criada nesta image...
Excelentes reflexos!
Parabéns!