sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Cavalgada

Foto: Sônia Brandão


Faço um cavalo
de vento e vertigem.

Vagamos pela noite.
Subimos juntos a montanha.

Ele,
cheirando o silêncio,
pastando os sonhos entre as pedras

Eu,
bebendo a vida
fartando-me de estrelas.

12 comentários:

J. C. P. disse...

Olá, Sônia! Quanto tempo! Lindos poemas e fotos! Espero que nos encontremos em breve! Beijos, Jean.

Cris Animal disse...

"Ele,
cheirando o silêncio,
pastando os sonhos entre as pedras

Eu,
bebendo a vida
fartando-me de estrelas"

Dúvidas de que eu não me apaixonaria?.........rs
Lindo! Muito lindo.....Essa é a cavalgada que vale à pena.
beijos
.................Cris Animal

AC Rangel disse...

Sônia, que delicioso poema para se ler a qualquer momento. Delicioso. E que magnífica maneira de se fartar de estrelas e de beber a vida. Parabéns.

Gaspar de Jesus disse...

Excelente POEMA!
Parabéns SÔNIA.
Bjs
G.J.

Ana Martins disse...

Olá Sónia,
parabéns por esta pequena grande maravilha!

Beijinhos,
Ana Martins

Carlos Barros disse...

Olá Sônia,
Belíssimo Poema!
Parabéns por ele, bem como pela foto.

Terno Abraço.

Multiolhares disse...

a noite tem uma magia diferente
beijos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Que lindo lugar este aqui.
...fartando-me de estrelas...
um grande abraço. Adorei este espaço

Maria disse...

Sonia Brandão: nós, poetas, estamos sempre em busca do pássaro impossível. A perefeição da palavra, para alguns de nós , é esse pássaro tão procurado. Seu poema foi um achado, a palavra tão buscada casou-se com perfeição a uma idéia brotada no fundo do coração. Lindo.

Marcos disse...

Delicioso poema com gosto de mato e liberdade.

CLAUDIA ALMEIDA disse...

Faço um cavalo
de vento e vertigem.

Lindo poema,rural e sensual!
Parabéns,bjs.
Claudia Almeida

Compulsão Diária disse...

Eu nunca me esqueci desse poema. E foi um prazer renovado ler mais uma vez. que bom! Sei o caminho